Arquivo para setembro 2010

Como Deus escolhe os pais de crianças com diabetes!

14 de setembro de 2010
Conca de Dalt. Torallola. Barranc de Santa Cecília

Image via Wikipedia

Hoje li este texto no site Portal Diabetes e gostei tanto dele que resolvi compartilhá-lo com você.

Leia e tire as suas próprias conclusões!

———-

Como Deus escolhe os pais de uma criança com diabetes

Muitos homens e mulheres tornam-se pais por acidente, alguns por escolha, poucos por pressões sociais, e um par, por hábito. Alguma vez você já pensou como os pais de crianças diabéticas são escolhidos.
De algum modo eu visualizo Deus pairando sobre o Terra selecionando seus instrumentos de propagação com grande cuidado e deliberação.
Enquanto observa, instrui anjos a fazer anotações em um grande livro. Silva, João e Maria, um filho. O santo patrono São Mateus. Souza, Carlos e Ana, uma filha. O santo patrono Santa Cecília. Oliveira, Antonio e Paula, gêmeos. Patrono Santo Geraldo.
Finalmente, ele passa um nome para um anjo e sorri. “Dêem a eles uma criança com diabetes”. O anjo curioso pergunta “Por que isso, Deus? Eles são tão felizes?”. “Exatamente” sorri Deus. “Poderia eu dar uma criança com diabetes a uma mãe e um pai que não sabem sorrir? Isso seria cruel”.
O anjo pergunta “Mas têm eles a paciência?” “Eu não espero que eles tenham muita paciência, ou eles afundarão num mar de auto-piedade e desespero”,
Deus respondeu. “Uma vez que o choque e o ressentimento passarem, eles irão lidar com a situação. Eu os observei hoje. Eles têm aquele sentimento de independência e auto-procura que é tão raro e tão necessário nos pais. Veja, a criança que vou dar a eles tem seu próprio mundo. Eles têm de fazê-lo seu mundo também, e isso não será fácil.” Deus sorri. “Esta família é perfeita. Eles têm suficiente egoísmo.” O anjo engasga. “Egoísmo? E isso é uma virtude?” E Deus diz “Se eles não separarem eles mesmos da criança ocasionalmente, eles não viverão nunca. Sim, esta é família que eu abençoarei como perfeita.
Eles ainda não percebem, mas eles serão invejados. Permitirei que eles vejam claramente coisas que eu vejo… ignorância, crueldade, preconceito… e permitirei que eles superem tudo isso. Eles nunca estarão sós. Estarei do lado deles cada minuto do dia de suas vidas porque eles estarão fazendo meu trabalho certamente como se estivessem aqui do meu lado. “E o santo patrono?” pergunta o anjo, a caneta parada no ar. Deus sorri. “Um espelho será suficiente”.
Anúncios

Os 5 Elementos da Ficção

9 de setembro de 2010
Page of a book in portuguese.

Image via Wikipedia

Olá!  O nosso Manual do Escritor traz um excelente post hoje, baseando-se na tradução livre e comentada por mim do texto publicado na Writing Foward.

Você conhece os 5 elementos da ficção? Já ficou preso em uma parte do texto ou da história? As idéias não fluiam mais? Terminou seu livro mas acha que está faltando alguma coisa?

Então você deve ler este post e conhecer os 5 elementos básicos que não podem faltar em um texto/livro de ficção.

Na ficção, há muito espaço para a criatividade: você pode escrever sobre o futuro, sobre um passado alternativo ou até mesmo criar o seu próprio mundo, com as suas próprias regras.

No entanto, há pequenos elementos que podem te ajudar no processo de criação. Esses elementos – que são o material nuclear para a criação de uma história cativante e envolvente – estão presentes na grande maioria dos livros famosos de ficção. Os 5 elementos são:

Personagem – sobre quem a história é;

Plot (também conhecido como Enredo) – o que acontece com os personagens;

Tempo/Local – onde e quando a história acontece;

Tema – o porquê da história;

Estilo – como a história é apresentada ao leitor.

Cada um desses elementos estão presentes nas escritas de ficção. Se por acaso faltar algum, existe uma boa chance de o leitor sentir que a história está incompleta. É claro que haverá casos em que uma história possa se desenvolver sem a presença de um deles em específico, mas isso é a exceção e não a regra. Por isso, fique atento.

Aprendendo sobre esses elementos, você será capaz de:

1 – Identificar áreas problemáticas mais facilmente;

2 – Ter uma nova visão da perspectiva dos seus leitores; e

3 – Você poderá usá-los para desenvolver a sua história quando estiver em dúvida quanto a que direção seguir.

Vejamos cada um dos elementos mais detalhadamente.

Personagem: A maioria das pessoas sentem que a caracterização é o elemento mais importante da escrita de ficção porque os leitores se ligam diretamente aos personagens. É essa ligação emocional que mantém o leitor interessado o suficiente para continuar, página após página.

Plot/Enredo: Para que exista uma história, deve haver ação. As coisas têm que acontecer de alguma forma. Como, quando, por que e em que ordem elas acontecem é o plot/enredo. Enquanto os leitores se ligam emocionalmente aos personagens, é o enredo que incita a curiosidade dele. “O que acontecerá agora?”

Tempo/Local: Pode ser considerado por muitos como o elemento menos relevante. Há casos, porém, que o local ganha tanta ênfase que pode até ser considerado como um personagem com vida própria. Aqui cito o exemplo das Terras Médias, de Tolkien (Senhor dos Anéis). O fato é que a maioria das histórias se passa em algum local, numa determinada época.

Tema: O que os leitores vão pensar quando terminarem de ler a sua obra? E qual é o assunto que chamará a atenção deles? Essas coisas serão determinadas pelo tema ou pela mensagem do seu texto. Existem temas bem batidos, como anjos e demônios (sobre o qual, aliás, estou escrevendo em um projeto de livro), mas que podem render uma boa leitura se explorados de maneira correta. Existem também temas sobre os quais ninguém escreveu ainda, quer um exemplo? “Peixes-zumbis que vieram de outro planeta”. Basta liberar a imaginação!

Estilo: Considerado por mim um dos principais elementos. Ao escrever ficção, há muitas coisas acontecendo que afetam a história, mas não tem nada a ver com ela. São as escolhas que um escritor faz sobre o modo de como contar a sua história. Os componentes de estilo incluem: o ponto de vista, a narração, a gramática e a ortografia, a pontuação, a linguagem, o ritmo, a estrutura, o tom, as imagens e muito, mas muito mais. O estilo também pode ser notado na escolha da voz em que se narrará o texto (1ª, 2ª ou terceira pessoa). O ideal é desenvolver um estilo próprio e único.

Por que é tão importante para um escritor compreender os 5 elementos da ficção? Não é melhor sentar e escrever, e deixe a sua criatividade fazer o seu trabalho?

Bem, sim e não.

Quando esses elementos estão entrelaçados de forma integrada, uma história ficará mais profunda, rica e real. Ela vibrará na mesma frequência que  os leitores vibram. Claro, há momentos em que a criatividade irá fazer o trabalho para você. Mas em algum momento, você terá de verificar o seu trabalho e perguntar se a história funciona como um todo. Se isso não acontecer, se você sentir que algo essencial está faltando, então é provável que um desses elementos esteja ausente ou não foi tratado adequadamente.

Claro, você pode se sentar e escrever uma história criativa sem fazer um planejamento antes, sem estruturar ou ao menos pensar nos 5 elementos, e há uma pequena chance de que ela seja boa. Mas quanto mais você estudar e entender a arte de escrever,  mais equipado estará para escrever uma história de ficção que seja verdadeiramente boa e empolgante.

Como em tudo na vida, a prática leva à perfeição.

Thiago Pereira Neves, 09 de setembro de 2010.