Archive for the ‘Manual do Escritor’ category

Comece a escrever agora mesmo!!!

24 de agosto de 2011
The Tourist - Angelina Jolie and Johnny Depp

Image by WorthingTheatres via Flickr

Imagine a seguinte cena:

Você teve uma idéia para uma história. Não, não apenas uma história, um romance. Você pensa em sua idéia por algumas semanas, trabalha em cima dela. Depois disso, a idéia se levanta, solidifica-se em sua mente. Este poderia ser um livro, um verdadeiro romance. E você poderia ser o autor dele!

Imagine a adaptação de Hollywood, seu nome sendo apresentado para milhões de leitores em potencial e você ficando cara a cara com Johnny Depp ou Angelina Jolie.

image

No entanto, você está sentado em sua mesa e ainda não escreveu nenhum livro. Você fica só imaginando, tudo que tem são sonhos. Por quê? Por que isso acontece?

Porque você está deixando de lado o verdadeiro propósito de uma idéia. Brainstorming, delineamento de ações e mapeamento mental são estratégias úteis e formas válidas de estruturar o seu trabalho nos estágios iniciais. Mas isso não é escrita, é apenas uma preparação!

Desculpas familiares?

  1. Você se convence de que precisa comprar um computador novo para começar a escrever. Quem sabe um notebook? “Ah, se eu tivesse um notebook poderia escrever sempre que as ideias surgissem. Seria maravilhoso…”
  2. Você precisa discutir a idéia com seus colegas escritores, o que implica tempo no Twitter ou no Facebook. Você entrar nesses sites mas de alguma forma acaba clicando nas atualizações de alguém, em links e fotos. Uma hora depois, você percebe que ainda não discutiu a sua idéia com ninguém e, é claro, você não pode começar até que você tenha ouvido a opinião dos outros. “Já que não tem ninguém online, deixa eu entrar no youtube para assistir ao canal do Zé Graça…”
  3. Você não tem um editor de texto profissional e já está cansado de usar o Word. Acha que buscar na internet um bom programa para criar e editar seus textos dá muito trabalho, apesar de ser essencial para que você se sinta motivado a escrever. “Se eu tivesse o editor de criação e produção de texto MegaWriter4You ExtraPlus já estaria escrevendo há muito tempo, mas essa telinha azul do Word mata minha inspiração…”

O único caminha a seguir…

Se qualquer uma dessas soar familiar, então há apenas um curso de ação. Você tem que começar a escrever. Eu sei, eu sei: você não pode começar até que a circunstância certa apareça. Mas quando se trata de escrever, isso nunca chegará a acontecer. Sempre haverá distrações. A vida lhe oferecerá outras coisas para fazer.

Chega um momento em que você tem que, simplesmente, parar de evitar os problemas; quando você tem que deixar o seu planejamento de lado e só começar a escrever. Mãos à obra, literalmente!

Ninguém está pedindo para você pintar a Torre Eiffel com uma escova de dentes, apenas para que você coloque a sua história no papel.

Está tudo bem, eu entendo como é. Você está com muito medo de começar porque, se o fizer, a sua ideia maravilhosa vai se transformar em um projetinho inicialmente sem graça.

Então como superar esse medo e começar a trabalhar em sua história?

Dando passos de bebê

Escreva uma frase. Depois escreva outra. Talvez uma terceira? Viu, você está escrevendo! E já tem três frases do seu livro escritas. Você não pode deixá-las sozinhas. Vai ter que escrever um pouco mais, não vai?

Faça um acordo

Os seres humanos trabalham melhor em grupos. Assim que encontrar alguém que também está tentando escrever um livro, crie uma equipe. O apoio mútuo é inestimável, e vocês podem definir prazos e metas uns para os outros. Escrever um livro não é tão assustador quando você sabe que não é o único a fazê-lo.

Segure sua ideia

image

Se você está adiando a escrita porque está preocupado em não fazer jus à sua ideia original, descubra a essência dela. Escreva-a e deixe-a perto de sua área de escrita. Talvez você queira manter uma cópia em seu caderno para poder continuar a trabalhar em sua história enquanto estiver longe do seu computador. Se você visitar a sua idea constantemente, ela vai ajudar a manter a sua escrita no caminho certo, e manter a sua história mais perto da idéia original.

Você tem alguma estrategia especial para começar um grande projeto? Compartilhe as suas ideias nos comentários abaixo. E clique aqui para saber um pouco mais sobre os Cinco Elementos da Ficção.

Thipen, Montes Claros/MG, 24/08/2011.

Adaptado livremente do site Fuel Your Writing (http://bitw.in/Oyj) (o crédito das imagens também se encontra no link)

Anúncios

Os 5 Elementos da Ficção

9 de setembro de 2010
Page of a book in portuguese.

Image via Wikipedia

Olá!  O nosso Manual do Escritor traz um excelente post hoje, baseando-se na tradução livre e comentada por mim do texto publicado na Writing Foward.

Você conhece os 5 elementos da ficção? Já ficou preso em uma parte do texto ou da história? As idéias não fluiam mais? Terminou seu livro mas acha que está faltando alguma coisa?

Então você deve ler este post e conhecer os 5 elementos básicos que não podem faltar em um texto/livro de ficção.

Na ficção, há muito espaço para a criatividade: você pode escrever sobre o futuro, sobre um passado alternativo ou até mesmo criar o seu próprio mundo, com as suas próprias regras.

No entanto, há pequenos elementos que podem te ajudar no processo de criação. Esses elementos – que são o material nuclear para a criação de uma história cativante e envolvente – estão presentes na grande maioria dos livros famosos de ficção. Os 5 elementos são:

Personagem – sobre quem a história é;

Plot (também conhecido como Enredo) – o que acontece com os personagens;

Tempo/Local – onde e quando a história acontece;

Tema – o porquê da história;

Estilo – como a história é apresentada ao leitor.

Cada um desses elementos estão presentes nas escritas de ficção. Se por acaso faltar algum, existe uma boa chance de o leitor sentir que a história está incompleta. É claro que haverá casos em que uma história possa se desenvolver sem a presença de um deles em específico, mas isso é a exceção e não a regra. Por isso, fique atento.

Aprendendo sobre esses elementos, você será capaz de:

1 – Identificar áreas problemáticas mais facilmente;

2 – Ter uma nova visão da perspectiva dos seus leitores; e

3 – Você poderá usá-los para desenvolver a sua história quando estiver em dúvida quanto a que direção seguir.

Vejamos cada um dos elementos mais detalhadamente.

Personagem: A maioria das pessoas sentem que a caracterização é o elemento mais importante da escrita de ficção porque os leitores se ligam diretamente aos personagens. É essa ligação emocional que mantém o leitor interessado o suficiente para continuar, página após página.

Plot/Enredo: Para que exista uma história, deve haver ação. As coisas têm que acontecer de alguma forma. Como, quando, por que e em que ordem elas acontecem é o plot/enredo. Enquanto os leitores se ligam emocionalmente aos personagens, é o enredo que incita a curiosidade dele. “O que acontecerá agora?”

Tempo/Local: Pode ser considerado por muitos como o elemento menos relevante. Há casos, porém, que o local ganha tanta ênfase que pode até ser considerado como um personagem com vida própria. Aqui cito o exemplo das Terras Médias, de Tolkien (Senhor dos Anéis). O fato é que a maioria das histórias se passa em algum local, numa determinada época.

Tema: O que os leitores vão pensar quando terminarem de ler a sua obra? E qual é o assunto que chamará a atenção deles? Essas coisas serão determinadas pelo tema ou pela mensagem do seu texto. Existem temas bem batidos, como anjos e demônios (sobre o qual, aliás, estou escrevendo em um projeto de livro), mas que podem render uma boa leitura se explorados de maneira correta. Existem também temas sobre os quais ninguém escreveu ainda, quer um exemplo? “Peixes-zumbis que vieram de outro planeta”. Basta liberar a imaginação!

Estilo: Considerado por mim um dos principais elementos. Ao escrever ficção, há muitas coisas acontecendo que afetam a história, mas não tem nada a ver com ela. São as escolhas que um escritor faz sobre o modo de como contar a sua história. Os componentes de estilo incluem: o ponto de vista, a narração, a gramática e a ortografia, a pontuação, a linguagem, o ritmo, a estrutura, o tom, as imagens e muito, mas muito mais. O estilo também pode ser notado na escolha da voz em que se narrará o texto (1ª, 2ª ou terceira pessoa). O ideal é desenvolver um estilo próprio e único.

Por que é tão importante para um escritor compreender os 5 elementos da ficção? Não é melhor sentar e escrever, e deixe a sua criatividade fazer o seu trabalho?

Bem, sim e não.

Quando esses elementos estão entrelaçados de forma integrada, uma história ficará mais profunda, rica e real. Ela vibrará na mesma frequência que  os leitores vibram. Claro, há momentos em que a criatividade irá fazer o trabalho para você. Mas em algum momento, você terá de verificar o seu trabalho e perguntar se a história funciona como um todo. Se isso não acontecer, se você sentir que algo essencial está faltando, então é provável que um desses elementos esteja ausente ou não foi tratado adequadamente.

Claro, você pode se sentar e escrever uma história criativa sem fazer um planejamento antes, sem estruturar ou ao menos pensar nos 5 elementos, e há uma pequena chance de que ela seja boa. Mas quanto mais você estudar e entender a arte de escrever,  mais equipado estará para escrever uma história de ficção que seja verdadeiramente boa e empolgante.

Como em tudo na vida, a prática leva à perfeição.

Thiago Pereira Neves, 09 de setembro de 2010.

Participe!

7 de agosto de 2010

Participe!

Pois é escritores, estou de volta com um novo post no manual para escritores iniciantes. A palavra chave aqui é  participação.

Mas antes, uns poucos esclarecimentos acerca do Manual do Escritor Iniciante.

Diferentemente do que você encontrará pela internet, não darei dicas de como escrever, escrever melhor, melhorar sua técnica de escrita e nem nada do tipo. Isso tem aos montes por aí, basta pesquisar no Google que você encontrará tais ensinamentos.

Um resumo do que você encontrará é este: leia, leia mais e depois que ler muito, mas muito mesmo, você estará apto a engatinhar no mundo da escrita. Para ser um escritor você deve, antes de tudo, ser um bom leitor.

Como eu disse, são coisas básicas que você já deve saber e não ficarei batendo nesta tecla.

Esse manual consiste na minha própria experiência como escritor iniciante. Ou seja, feito por uma pessoa que também está começando a trilhar esse caminho, um par igual a você.

Então, vamos ao que interessa. Vamos aprender sobre a importância da participação em nossa Vida de Escritor.

Há um tempo, quando eu voltava do trabalho, tive a ideia de escrever um conto rápido. Lá estava eu, morrendo de fome, quando me veio a inspiração, cheguei a postar sobre isso aqui no blog (para ver o post clique aqui no Fast Tale).

Mandei o conto para o Concurso de Contos do Alétheia, do site Na Ponta do Lápis, e continuei escrevendo outros contos, participando de outros concursos. Descobri que em uns você pode até ganhar uma boa grana, além de uma exposição positiva no cenário nacional. Um exemplo em o concurso Paulo Leminski, clique e confira.

Semana passada saiu o resultado da antologia, e tive a honra de estar entre os selecionados (para ver todos os selecionados clique aqui: Selecionados para o Concurso Alétheia). Fiquei feliz também por ver o nome da minha amiga Isie Fernandes na lista. Ela é uma escritora muito boa e tem um futuro brilhante pela frente.

Dê uma espiada na capa da antologia:

Assim, participe de todas as oportunidades que se apresentarem a você. Concursos, seleções, foruns, orkut, twitter etc.

Há muito espaço para divulgar seu trabalho na internet. Não deixe nada passar. Cada nova experiência, cada novo contato, tudo ajuda na construção do escritor que seremos.

Sem falar que são ótimas oportunidades de se avaliar, de saber se você está indo pelo caminho certo e de poder conhecer a opinião dos outros sobre o que você anda escrevendo.

Se ainda não tem, crie um twitter, um orkut ou uma conta em qualquer outro meio de comunicação social existente por aí, e divulgue os seus escritos. Você pode até mesmo criar um blog, assim como eu fiz. É simples, fácil e não custa nada.

Participação é a chave para se conhecer novos escritores e ter acesso a outros pontos de vista.

Assim, participe sempre. Mostre ao mundo o que você tem a dizer!

Thiago Pereira Neves, 07 de agosto de 2010.

Não seja roubado!

7 de julho de 2010

Se você quer ser um escritor de sucesso, vender muitos livros  e até dar autógrafos, você deve, primeiramente, começar a escrever e divulgar a sua ideia.

Mas tome cuidado para não ser roubado. Não confie em qualquer proposta que lhe apresentarem ou que você achar pela internet, veja o porquê a seguir.

O mercado está cheio de pessoas que podem ajudar a divulgar o seu trabalho, e isso é muito bom. Porém, há também pessoas que só querem lucrar e que se aproveitam de sua inexperiência como escritor para te enganar e te roubar.

Foi o que quase aconteceu comigo esses dias.

Navegando pela internet, encontrei um blog, o Intercâmbio Internacional Pontes Literárias, que dizia fazer seleção de livros para editoras estrangeiras, o que pode até ser verdade. Empolgado com essa descoberta, fiz minha inscrição no blog.

Depois de pensar um pouco e de analisar alguns dados desse blog, acabei por concluir que não compensaria participar da seleção. O que mais estranhei foi o fato de destacarem em grandes letras vermelhas que a editora responsável pela seleção pagaria a quantia de R$ 15.000,00 para os autores que tivessem livros selecionados.

Em conversa com meu amigo Leo Schabbach, do site Na Ponta dos Lápis, ele me disse que investigou uma suposta parceira entre esse blog e uma editora alemã chamada Taschen. Segundo ele, a editora foi taxativa ao afirmar que jamais pediu originais para o blog.

Como você pode perceber, a situação do blog em questão é totalmente duvidosa, já que eles afirmam ter parcerias que não tem.

Por isso, amigos escritores, não se deixem levar pelas aparências. Antes de enviarem seus originais, ou até mesmo as suas ideias, para algum lugar, façam uma pesquisa. Afinal, o Mister Google está aí, ao seu alcance.

Ao terminar esse post, fui ao Intercâmbio Internacional Pontes Culturais e, engraçado, depois das investigações e perguntas feitas pelo nosso amigo Léo, eles retiraram a seleção do ar, alegando que o concurso “foi cancelado, devido á divergências de informações entre o intercâmbio e a editora.”

Esclareço que nós, escritores iniciantes, estamos dispostos a ouvir eventuais explicações dos donos do referido blog.

Thiago Pereira Neves, 07 de julho de 2010.